sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Notas de Novembro 2012


Já contei aqui quando iniciei meu blog, que adoro arte florística e novembro é "o mês" para trabalhar com esse hobby. Esse ano criei um arranjo super simples e vocês poderam fazer muito rápido se quiserem. As pinhas colhi na floresta ou ganhei de presente. As únicas coisas que adicionei a mais, foram as madeirinhas de canela. Ficou um cheio delicioso na sala! A vela comprei na IKEA e o prato de vidro dourado embaixo do arranjo, é do MIGROS.

Vocês também poderão variar, usando somente essa versão simples com a vela. 
Fiquei apaixonada com o resultado!

A princípio nada demais, mas depois...

Virou uma laterna - parecia um sol gigante na sala!!! 

Colocar os fios dourados de metal na vela deu um pouquinho de trabalho, mas o resultado valeu à pena!!!

***

Isso aqui foi um registro de uma comidinha caseira super simples que amoooo de paixão: 
Bife acebolado com bastante pimentão - eu me rendo por completo! 
Tempo de preparo: 12 minutos

Essa é a minha versão do Chili con Carne. 

Geralmente faço quando tenho mais tempo de deixar a carne cozinhar bem com os tomates. Uso pouca cenoura, tomates frecos cortados, pimentão, pimenta sem semente e muito cheiro verde.





quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Vilarejo de Gruyères

Caso você esteja programando uma viagem para Suíça, não deixe de incluir Gruyères no seu roteiro. O Castelo de Gruyères fica situado ao topo de uma colina da onde podemos admirar uma belíssima muralha que envolve o vilarejo medieval.

Os alpes do cantão de Friburgo são um convite as longas caminhadas. Essa região além de ser de simples acesso, conserva bem aquela imagem de cartão postal suíço com os alpes rodeados por colinas e florestas verdejantes.

Visita da minha sobrinha Maria Eduarda, em agosto de 2011.

Paisagem vista do jardim do Castelo de Gruyères


Double crème de Gruyère é uma espécie de nata àcida servido com merengue (suspiro) muito popular no cantão de Friburgo.

Sempre que possível, quando recebo visitas vou a Gruyères. Acho um passeio super agradável e ainda é possível voltar no mesmo dia para Zurique. 

Use sapatos confortavéis, pois precisará subir a colina a pé para chegar ao vilarejo.

Entrada do castelo

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A Lei do Retorno & O Efeito Sombra

Conversado com uma amiga no sábado, fluiu um tema muito interessante: a lei do retorno. Quando você começa a falar de espiritualidade/crença/religião as respostas quase sempre terminam aqui: colhemos o que plantamos. Conseguimos trocar informações sem censurar pessoas que participam dessa ou daquela religião e o assunto foi ficando cada vez mais interessante. Algumas das minhas conclusões com relação ao tema:

Reclamar, “por pra fora” adianta para aliviar a dor de uma injustiça sofrida? 
Sim, mas isso só acontece quando relatamos os fatos sem tentar ser melhor do que ninguém ou nos defender o tempo todo - o que na maioria das vezes é impossível se estamos “envenenados” pela dor. Inconscientemente ou consciente mesmo, falamos em um tom de critíca e tentamos nos posicionar melhor para sermos mais amados ou compreendidos por quem nos ouvi. Tudo que você julga, critíca, fala mal, acusa, fala mais sobre você do que sobre o outro e volta pra ti dobrado; até você se libertar disso, seu carro fica muito tempo atolado. Nós só podemos dar aquilo que somos/temos. Quando estamos julgando, não estamos tendo tempo de tentar entender a pessoa e o porquê que isso nos aconteceu.

Por que eu penso assim? 
Simples, porque comecei a analisar meus resultados e verificar, que de fato, eles contam TUDO! Ou seja, se eu melhoro, tudo melhora, se eu continuo no erro, tudo continua errado. Eu acredito que nós mesmos somos responsáveis por criar os obstáculos na nossa vida e atraímos tudo aquilo que vivemos. Enquanto não estamos dispostos a mudar e a encarar nossos erros, as mesmas experiências voltam a ser reptidas, até que você aprenda e tome uma atidude. Então, comecei a reagir ao invés de perder mais tempo tentando explicar meu erros/resultados ou sempre procurar desculpas para esclarecer o que não deu certo.

Quando começamos a evoluir mais espiritualmente/socialmente? 
Aprendendo a aceitar as diferenças, responsabilizando-nos totalmente pelos nossos erros, pedindo desculpa e logo seguindo em frente, sem perder a autoconfiança.

E para finalizar, uma das minhas conclusões mais valiosas:
Sempre observe os resultados e avalie apartir deles se aquilo que as pessoas te dizem faz sentido ou não. Ninguém faz por mal, mas agimos às vezes sem consciência, criando as nossas próprias verdades para fugir da realidade. 
Analise sempre os seus resultados pessoais antes de tomar qualquer decisão; trabalhe de forma consciente com seus erros.
***
A lei do retorno, ou falando de psicologia: o espelho (ver no outro o que ocultamos em nós, na forma de um espelho) ou seja, tudo que criticamos no outro com muito ódio e rancor e não conseguimos perdoar, está na nossa sombra (personalidade oculta) ou fez parte do nosso passado, ou em alguém muito próximo. Daí o motivo da necessidade de evidenciar, por pra fora, vomitar. Geralmente é algo que você reprime demais em você mesmo. “Somente a sua verdade pode te libertar.” amo essa frase. 

Se você não solta seus bichos, eles começam a te triturar por dentro: “Ouse ser quem vc é.” dizia Oscar Wild. Caso alguém tenha interesse em entender melhor o conceito de espelho/sombra aplicada a psicologia analítica junguiana, indico um dos melhores livros que li a respeito:


"A Sombra é um dos mais famosos ensinamentos de Carl Jung, e também é um assunto que continua em estudo em todas as áreas de auto-ajuda. Este é o primeiro livro de ensinamento popular e compreensí­vel sobre como o efeito Sombra age em nossas vidas e no mundo ao redor." Fonte: sinopsedolivro.com

O fato é, você atrai tudo na sua vida e a bíblia fala tão claro disso como no espiristismo, budismo etc. Refiro-me à bíblia, por conhecer bem a mesma, adorar história, filosofia e culturas antigas e vir de um país cristão; mas não sou fundamentalista e não faço parte de nenhuma religião. Veja que interessante:

Mateus 7 1-28
Com relação aos julgamentos:
1 Não julgueis, para que não sejais julgados.
2 Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós.
3 E por que vês o argueiro no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho?
4 Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu?
5 Hipócrita! tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro do olho do teu irmão.

Com relação à lei do retorno:
12 portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós a eles; porque esta é a lei e os profetas.

Com relação aos resultados:

A árvore e os seus frutos 
15 Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores.
16 Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?
17 Assim, toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus.
18 Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má dar frutos bons.
19 Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo.
20 Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Castelo de Chillon

O Castelo de Chillon continua sendo uma daquelas "paradinhas" indispensáveis as margens do lago Léman.
Deixo aqui alguns pequenos registros da minha última visita. 


Sempre fico irresistivelmente atraída por torres de castelos :-)




Depois de ver essas fotos, bateu uma imensa vontade de voltar a Montreux e esperar o por do sol no lago outra vez. 

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Codex Pessoal

Já pensou em criar o seu próprio codex pessoal? Os assuntos relacionados ao ser, que também envolvem o ter, sempre levaram-me a reflexão. Com o passar dos anos, eu desenvolvi a minha própria arte de lidar com os desafios cotidianos e criei o meu codex pessoal. 



Alguns dos meus tópicos de apoio:

NUNCA COMPARE NADA
A vida na Suíça, tal qual no Brasil, tem muitos altos e baixos, então eu não comparo nada. Se você quizer ser feliz aqui, vai encontrar mil maneiras para isso, caso contrário, vai achar tudo chato e ficar comparando as coisas tempo todo. Quanto menos a sua vida for diversificada, no sentido de você próprio se limitar, suas impressões também vão ser limitadas. No verão, aproveito cada minuto possível ao ar livre, e no inverno leio muito, escrevo, faço longas reflexões, organizo minha vida doméstica, cuido das particularidades e me volto mais para dentro. 

VIVER SEM DÍVIDAS
Se você domina sua conta, ela nunca vai dominar sua vida. Você pode escolher entre aguentar ou não um chefe maluco, morar ou não com seus pais, viajar ou não, fazer aquele curso ou não, ter ou não um carro e por aí vai... emfim, esse é um assunto muito complexo, mas foi de tamanha importância na minha vida. Dinheiro é uma questão de valores, está baseada na relação sócio-cultural e nas influências/exemplos que você recebeu da sua família. Tenha sempre em mente que essa relação poderá ser mudada a qualquer momento, basta querer. Dívidas ou qualquer tipo de "escravidão finaceira" para obter algo antes que possa pagar confortavelmente, não faz parte da minha vida. Principalmente nos casamentos binacionais, esse continua sendo um dos maiores problemas: a diferente escala/hierarquia dos valores. Algumas culturas ainda são muito voltadas para gastos passivos (o que sai da sua conta), ou seja, ninguém pensa muito no futuro. Já na Suíça, a sociedade se preocupa muito em garantir primeiro os ativos (o que entra/fica na sua conta). 

AMIZADES/CONVIVÊNCIA
Escolho estar com pessoas que queiram o meu sucesso e colaborem no meu crescimento pessoal. Procuro o equilíbrio nas minhas relações de amizade e não faço delas uma terapia ocupacional; não digo sim, quando essa resposta involve a perda da minha liberdade. Quem faz parte da sua vida permanecerá nela naturalmente, quem não faz, sairá também como em um passe de mágica. Simples assim! 

NÃO TEMER 
O medo é consequência de quem fica parado. Quando você está em movimento, não terá tempo de pensar no medo, terá que reagir e enfrentá-lo para continuar prosseguindo no caminho que escolheu. Eu só tenho medo de ter medoUso o fracasso como lição e sei que na vida sempre haverá perdas e ganhos. 

ASSUMIR MEUS ERROS E RESOLVER MEUS PROBLEMAS 
As minhas mudanças tem que ser equivalente aos meus valores. Se faço algo errado e percebo isso, sou rápida em redimir meu erro. Assumo responsabilidade total pelos minhas atitudes/comportamento e não espero que ninguém resolva meus problemas.

ELOGIE E SEJA CONFIÁVEL
Demostre carinho, elogie quando puder, seja leal, honesto e nunca conte um segredo. Quebra de confiança é um ato cruel, doe muito e por mais que a pessoa tenha te traído ou magoado, arquive o caso por completo. Procure um profissional, caso não consiga esquecer ou se desligar da pessoa. Eu geralmente escrevo tudo o que ainda penso a respeito do assunto e depois rasgo o papel, finito! Pense nisso: aquilo que foi escrito, não precisa ser mais carregado. 

AGRADECER ANTES DE PEDIR
Agradecer a Deus antes de pedir, renova a alma! Volte a ser conectar com a paz que habita no seu coração. Procure encontrar o seu caminho individual para se unir ao sagrado. 














domingo, 11 de novembro de 2012

Monte Pilatus

Visitar o Monte Pilatus, é um dos passeios mais turísticos da Suíça; as três maneiras mais rápidas de se chegar até ele são de teleférico, gôndolas panorâmicas ou trem.


Se você tiver curiosidade/vontade de fazer uma caminhada "básica", esse seria um ótimo ponto de partida.

Comece devagar e depois vá aumentando seu tempo. 
Não tem segredo, depende somente da sua condição fisíca e nela você pode trabalhar.

Esse foi o meu último passeio nas montanhas antes de começar a nevar.

Outubro foi maravilhoso :-)

Até à próxima!



quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Busque a Sua Autoestima Perdida

Em várias conversas com amigas, conhecidas, colegas etc. comecei a observar que um dos temas mais difíceis de se tratar, além do controle de peso e da TPM, continuava a ser a perda da autoestima - geralmente relacionada aos conflitos amorosos e a separação. Embora muitas delas não pensem em começar a resolver seus problemas tocando nessa ferida, resolvi escrever sobre o assunto para deixar algumas dicas de livros que acho sensacionais nessa fase de mudanças. O fim de um relacionamento sempre é estressante. Não há fórmula mágica para sair do estado A, passando para o estado B, sem ao menos se quer "lembrar" de nada. Muito raramente ambos estão de acordo com o final da união e nem tão pouco, no mesmo grau de aceitação. Penso que as mulheres tendem a sofrer mais pela falta de objetividade; elas envolvem muito mais sentimentalismo, enquanto os homens aceitam mais rápido a situação, sem ficar procurando motivos ou esclarecimentos. 

Não adianta ir em busca do equilíbrio pleno depois do fim de uma relação, sem ter consquistado antes uma mega autoestima que te faça até mesmo subir o kilimajaro assobiando. E antes que você comece a comer bolo de chocolate três vezes ao dia, tenho uma ótima dica para você: é simples... mas requer disciplina e dedicação D.I.Á.R.I.A. O problema NUNCA está na pessoa que nós fez sofrer, que nos abandonou, que nos traiu. O problema está em como você se encontra emocionalmente; se o seu "padrão de qualidade" estiver intacto, você vai superar qualquer mudança que aconteça na sua vida amorosa, sem se descabelar e seguir em frente. Caso não, tudo na sua vida vai desabar. 

Na Suíça, há um ano, li a respeito do Love-Pain Coaching - essa médica descobriu sua vocação por meio da própria separação. Achei a idéia sensacional, pois nada mais certo do que procurar um profissional para nos apoiar quando não estamos conseguindo lidar ou resolver determinado problema. 

Primeiro cuide de você, de você, de você!!! Até começar a ter pic para ir um pouco mais além, e a  interessar-se por coisas que irão te ajudar a continuar conectada com o mundo. 

Sherry Argov
Esses dois livros são uma overdose para a autoestima feminina. 
Ela escreve de um jeito tão gostoso, que dá vontade de ler o livro completo outra vez quando termina.

Sherry Argov



Por que os homens amam as mulheres poderosas?

Sherry Argov

Você cancela todos os seus planos esperando um possível telefonema de um homem que acabou de conhecer? Tem a sensação de que, por mais que tente agradar seu parceiro, ele sempre parece distante ou desinteressado?

Então, se você deseja construir um relacionamento estável, saudável e divertido – com esse homem ou com qualquer outro –, está na hora de mudar de postura.
Não é que você não seja suficientemente boa. É que você é boazinha demais. E não há nada mais enfadonho para um homem do que uma mulher que passa o tempo todo se esforçando para agradá-lo.
Se você se enquadra nesse padrão, não se desespere. Este livro pode ajudá-la a dar uma guinada em sua vida amorosa. Com um texto envolvente, Sherry Argov criou um verdadeiro manual que vai fazê-la entender de uma vez por todas por que os homens amam as mulheres poderosas.
Eles se sentem atraídos porque essas mulheres representam um eterno desafio. Nunca se mostram completamente, deixando em torno de si uma aura de mistério que os instiga. São confiantes, têm idéias próprias e se valorizam.
Mesmo que estejam apaixonadas, elas não demonstram medo de perdê-los – e isso as torna ainda mais desejáveis. Conquistá-las passa a ser uma questão de honra para o homem.
A partir de centenas de entrevistas, a autora descobriu as principais atitudes que diferenciam as mulheres boazinhas das poderosas e as reuniu neste livro bem-humorado e transformador. Com histórias engraçadas e exemplos práticos, ela ensina tudo o que você precisa saber para deixar qualquer homem aos seus pés.
****
Existem mulheres que conseguem arrancar suspiros de todos os homens que as cercam. Outras, por mais bonitas que sejam, passam despercebidas pela maioria deles. Por que isso acontece? O que torna algumas pessoas tão atraentes?
Este guia prático e bem-humorado mostra que há dois tipos de mulheres: as poderosas e as boazinhas. As poderosas possuem um poder de atração que está muito mais ligado ao seu comportamento do que à sua aparência física. Elas são fortes, independentes, têm seus próprios interesses e não fazem do parceiro sua única fonte de felicidade.
As boazinhas, por outro lado, cobram a atenção do outro em tempo integral e estão sempre disponíveis, esperando que ele estale os dedos. E se eles não estalam, elas choram.
Sherry Argov mostra que é possível transformar-se de "capacho" em uma mulher encantadora e cheia de magnetismo. Não se trata de nenhuma fórmula mágica, e sim de um conjunto de mudanças de atitude que vão torná-la mais confiante e segura de si – e, conseqüentemente, muito mais atraente aos olhos deles.
Com base no depoimento de centenas de homens, a autora revela alguns dos segredos mais bem guardados do universo masculino: o que eles pensam de mulheres carentes, submissas ou mal-humoradas, o que os excita e os esfria.
Ser uma mulher poderosa não significa ter voz sexy, usar chicote e ser má – significa estar consciente de suas qualidades, valorizar-se, não ter medo de se impor e, acima de tudo, saber que suas necessidades devem vir em primeiro lugar.

Ou seja, tem menos a ver com a maneira como você o trata do que com o modo como trata a si mesma.

Com base nos conselhos e exemplos que encontrará neste livro, você vai se conhecer melhor, aumentar sua auto-estima, construir relacionamentos mais profundos e, claro, tornar-se uma mulher irresistível!


Capa do original do livro em inglês: The Rules Book
Li esse livro a mais de dez anos e perdi a conta dos exemplares que dei de presente.
Na verdade, as regras fazem parte do melhor jogo que uma mulher deveria aprender:
PRIMEIRAMENTE AME A SI MESMA

Ellen Fein/Sherrie Schneider

REGRA I
Seja uma criatura diferente das outras
Ser uma criatura diferente das outras é um estado de espírito.Você não tem que ser rica, bonita nem excepcionalmente inteligente para se sentir assim. E tão pouco tem que ter nascido com esta sensação. Ela pode ser aprendida, exercida e ensinada como qualquer das outras regras deste livro.Ser uma criatura diferente das outras é realmente uma atitude, uma sensação de confiança e esplendor que permeia o seu ser da cabeça aos pés. E a maneira como você ri (iluminando o ambiente), faz uma pausa entre duas frases (não falando compulsivamente só de nervosismo), ouve (atentamente), olha (recatadamente, sem encarar), respira (suavemente, fica de pé (ereta) e caminha (agilmente, com os ombros para trás). Não importa que você não seja ‟a rainha da beleza, que nunca tenha terminado a
faculdade ou que não vá a todos os eventos do momento. Você simplesmente se acha o máximo.
Você é mais confiante do que as mulheres com títulos universitários ou dinheiro no banco. Você não rasteja. Não é desesperada nem ansiosa. Não sai com homens que não estão a fim de você. Confia na abundância e na sabedoria do universo: se não for ele, será alguém melhor do que ele, diz você.

Para continuar lendo o livro on-line clique aqui.

SUCESSO!!!


terça-feira, 6 de novembro de 2012

Organizar ou Sistematizar?




O que existe atrás de nós e o que existe à nossa frente são problemas menores, se comparados com o que existe dentro de nós. 
Oliver W. Holmes

Embora eu seja uma pessoa totalmente a favor da organização, às vezes percebo que começo a relaxar com algumas normas de disciplina que emponho ao meu dia a dia. Começo a mudar coisas sem me questionar antes, ou seja, cansei de fazer algo e começo a deixar pra lá. Pois bem, embora ame planejamento,  tenho preguiça de sistematizar. Contradição? Sim, mas muito interessante de se explicar;  seria o mesmo que:  você tem uma casa arrumada, mas não organizada.  A sistematização também vai além da organização, ela define um método que melhor funcionou dentro de vários  outros testados/utilizados. (Nisso os suíços são ÚNICOS).  A sistematização começa a acontecer depois de um controle de qualidade e verificação de possibilidades já aceitas. Ordenar não é o mesmo que sistematizar, embora muitas vezes esses termos se confundam.  

Quando você começa a entender melhor, o que te leva a ter determinado comportamento, a possibilidade de mudá-los para poder obter melhores resultados começam a progredir significamente.  Sua capacidade de atingir com sucesso suas metas, será muito maior. Mas para manter uma conduta disciplinada, que o faça continuar focando somente em bons resultados, você precisará passar da subjetividade amadora, para a objetividade lógica.  E aí que a preguiça me pega mais uma vez. Minha personalidade quer sempre obter os melhores resultados, usando o minímo possível da “lógica sistemática”.  Procuro sempre me informar do que funciona mais rápido, leio, reflito, admiro, mas na hora de aplicar... putis, conto até mil, passo para o dia seguinte... enrolo e sempre procuro o caminho mais fácil.
Apontando algumas das minhas pendências: 
  • Sistematizar/classificar /agrupar minhas fotos por ano e país e criar um banco de dados melhor e mais eficiênte; 
  • Sistematizar/ reorganizar meus CDs antigos;
  • Revisar/separar/doar meus cursos de línguas em audio-CDs;
  • Reorganizar os meus audiolivros, etc.

Acredito que dentro de nós, habitam duas realidades dominantes que ajudam a definir nosso caráter:  aquela que alegra ou aflige nosso ego, ou aquela que somente o inflama pelas vaidades, para logo em seguida,  derrubar nossas falsas crenças .  Há dias/momentos em que ambas trabalham a seu favor, dificultando muito o ajuste de contas com nós mesmos. Mas tudo tem sua hora certa e “um belo dia eu resolvi mudar e fazer tudo que eu queria fazer” e ontem,  depois de ter trabalhado  que nem louca e deixado de dar prioridades a outras coisas, comecei a sistematizar minha vida virtual/intelectual e aceitar uma nova aliança com todos os sistemas e métodos que me ajudem a ser mais eficiente e feliz J.



Texto/Comentário da Dayse Roumillac


Uma das coisas mais gratificantes de se ter um blog é poder não só trocar ideias e experiências, mas também carinho e admiração e "conteúdo autêntico". Esse texto/comentário da Dayse Roumillac com relação as "promessas" achei maravilhoso e resolvi compartilhar com vocês.




E eu doidinha de vontade de comentar em seu blog esse texto maravilhoso.
vez tive a oportunidade de ler um livro Identidade Cultural na Pós Modernidade de Stuart Hall e ele chama o momento que vc narra entre não se identificar como brasileira e muito menos suíça como sendo "o sujeito hibrido" essa dualidade é culturalmente comprovada e seu texto narra muito bem tal situação.Quanto as promessas acho que já não vivo mais as expectativas de vê-las acontecer e tb não prometo mais nada, até me atrevo a dizer que quando fazemos promessas estamos praticando a corrupção, isso mesmo somos tds corruptos até mesmo com os nossos filhos quando dizemos " olha bonitinho faça isso que te dou chorisso" "se vc for educadinho, obediente eu prometo que lhe darei a recompensa" quando na verdade temos apenas que dar exemplo e assim em meus aforismos chego a conclusão que nas relações gerais temos apenas que ser quem somos sem essa de dar e receber, dar é o nosso exemplo para quem quiser capta-los, receber no mesmo sentindo tomando os outros como exemplo, isso me traz uma sensação de liberdade profunda e ao mesmo tempo deixo os que estão comigo libertos das minhas paranoias ou domínios corruptos.Ter como exemplo o que aconteceu com o país o qual vc abraçou para viver é muito interessante e reflito como um belo exemplo para as praticas de relacionamento em família, no trabalho, com os amigos e entendo que minha vivencia, o meu melhor será doado a quem verdadeiramente terá de receber, aqueles que não conheço, aqueles que mostrarei que no mundo tem espaço para todos. Muito obrigada por um texto reflexivo, teria muito mais a dizer.