terça-feira, 24 de abril de 2012

Caminho Japonês

Ontem, consegui finalizar mais uma parte do meu sonhado caminho japonês. Foram três meses ao todo trabalhando nesse projeto. Precisei de muita paciência, e uma constância do além, para alcançar esse resultado. Com a terra que sobrou da arena, pude dar continuidade ao caminho sem ter que contratar uma firma. Já tinha começado o mesmo quando iniciei as obras do jardim em 2010, mas ainda não tinha tido tempo e paciência para começar a medir e selecionar as pedras - sem falar que para cada pedra, foi necessário muito "carinho" para a fixação.  
No planejamento do jardim, não consegui simplesmente me decidir por um único estilo... sou apaixonada por vários: japonês, mediterrâneo, jardim de pedras alpino, oriental... foi um desafio decidir qual seria a melhor escolha. Acabei tenho a idéia de planejar um jardim de pedras - já tinha tido um antes - e misturar vários estilos, criando algo novo, que me deixasse feliz. Contratei o serviço de dois paisagistas que se apaixonaram pelo projeto e em duas semanas o jardim saiu do papel.  
Mas, já sabendo que um jardim é que nem uma casa, somente quando vc viveu nele algum tempo, poderá decorar da melhor maneira, comecei a adiar algumas coisas e dar tempo ao tempo. No meu caso, o melhor a ser feito, foi passar o ano inteiro observando a posição do sol e como as plantas reagiriam. Isso foi fundamental, principalmente morando no hemisfério norte.
Por que um jardim de Pedras? 
Tive mil motivos, mas o principal foi a idéia de eternidade. Grandes símbolos da humanidade foram representados por pedras ou feitos por elas. Grande parte do passado do nosso planeta está resgistrado nas pedras e quando são esculpidas pela àgua sem pausa - pedras redondas - transformam qualquer canto de um jardim em lindas obra de arte. Sou LOUCA por àgua e combinei também essa paixão nesse projeto. Ver e pisar em pedras molhadas, me fazem feliz... Quando vou nadar, na volta pra casa, sento na beira do lago e deixo a àgua correr entre meus pés e as pedras... a melhor massagem do mundo! Lembra minha infância, o cheiro de chuva da terra vermelha molhada de Brasília... está em  mim, vem de dentro... pedra, àgua, céu, sol... AMO.
Tobiishi
"Tobiishi é um caminho informal, mais indicado para lugares pouco urbanizados, naturais. É feito com pedras brutas ou serradas com aspecto natural, dispostas uma a uma ao longo do caminho, de forma serpenteante. É o ideal para entremear um pequeno bosque, proporcionando uma caminhada prazeirosa e cheia de surpresas. A disposição serpenteante das pedras nos obriga a estar atento para aonde pisamos, nos mantendo no aqui e agora, presente no momento e desligado dos problemas cotidianos." 
kutsunugi-ishi
"A primeira pedra do caminho, sempre maior, é chamada de kutsunugi-ishi, ou pedra de tirar os sapatos. É um convite a quem queira tirar os sapatos, para literalmente "sentir" a caminhada." 

Ainda não encontrei a minha "grande pedra inicial." Vou cobrir o espaço livre e esperar; na hora certa ela virá até a mim. :-)
Agora e ter paciência e esperar que o verde predomine entre as pedras
Deu pra ver a curva? :-)
O mar no jardim japonês é simbolizado por areia, brita fina ou pedras brancas. Os espaços de terra largo e plano, cobri com brita fina. Super prático. Adorei o resultado.    
E para quem torceu comigo, parte da Arena que já foi ornamentada: Viva! 
Aos poucos vou chegando lá.
Tufes de grama japonesa em forma de serpente na Arena - resolvi ir dando continuidade ao caminho. Gosto de movimento, formas circulares, curvas sinuosas.  
A flora alpina me recorda as longas caminhadas nas montanhas. Nesse cantinho, escolhi plantas bem perfumadas para atraír abelhas e borboletas. 
"Não espere se sentir bem para fazer algo, faça algo para se sentir bem." Essa frase sempre me motivou a continuar. Dentro de você, há sempre algo que seja parte da sua essência. Dê continuidade as coisas que te façam bem, mesmo que você não tenha explicação para elas. 

    

domingo, 22 de abril de 2012

Jardinando sem pausa...


Nossa, que saudades eu estava de escrever... mas minha pausa foi por uma grande causa: meu amado jardim. A natureza dita as regras... que tem jardim e curti "jardinar" sabe bem do que falo. São várias coisas a serem minunciosamente preparadas... há mil "coisinhas" que precisam ser resolvidas e só podem ser feitas nos dias certos, ou seja, algumas delas quando chove, outras delas quando não choveu a três dias e daí em diante. 


Olhem que mimo! Essa àrvorezinha estava abandonada em um canto da loja de jardinagem. Foi amor a primeira vista. Ela cresceu torta e com a metade das raízes expostas... tinha de ser minha - eu pensei. Levei algum tempo procurando musgo no jardim para cobrir parte das raizes e comprei um vaso maior para terminar minha arte. Ela se adaptou perfeitamente e virou a atração da minha varanda. Nessa foto dá pra ver legal como ela é torta... muito f.o.f.a.

Outuno 2011

Ano passado, comecei um projeto com minha sobrinha no jardim e consegui apenas terminar uma parte dele. Pensei que seria possível concluir antes do inverno, mas por mil motivos tive que adiar meus planos - cobri novamente com pedras menores e deixei queto.  Enfim, voltei com toda motivação as obras, e estou conseguindo aos poucos finalizar minha tão sonhada arena.

Primavera 2012

Adoro tudo que tenha haver com a antiguidade e símbolos. Procurei algumas informações sobre como mover as pedras sozinha depois que minha sobrinha se foi, e voltei com tudo... cavar buraco e pegar no pesado, nunca foi um problema para mim. Trabalhar com a terra, é uma das coisas que mais gosto de fazer na vida. 

Mover pedras é um desafio, mas sou apaixonada por elas :-)


Quando comecei, só me concentrei nos resultados - em nenhum minuto, nas dificuldades. Não fiz da falta de tempo, ou qualquer outro motivo um problema - quando não dava mesmo, ou minhas forças tinham se esgotado, cobria a àrea e ser trabalhada e descansava. 


Fiz desse projeto uma espécie de "meditação diária" e tudo foi dando certo... confesso que às vezes, o cansaço era muito grande, mas a vontade de terminar superava.


Essa foi a parte mais difícil, fixar as pedras em forma circular. Cada pedra tinha sua forma e característica única, tudo tinha que ser de acordo, caso contrário não seria possível... mas consegui!


Depois tive que voltar com todo material pro lugar certo e reorganizar tudo. Olhem o volume de terra... sem falar nas pedras menores... estou terminando aos poucos, agora tenho que ter paciência e esperar o solo nivelar... depois que tudo estiver nos "trinques" volto com mais fotos.

Essa peixinho é um sininho com um som encantador. Faz parte da tradição japonesa de jardinagem, e é um "acalento pra alma." Outro mimo que encontrei esse ano.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Cozinheira Minuteira Profissional

Andei testando algumas receitas ao minuto nesses dias de festa, que merecem virar tema de blog em absoluto. Tudo foi tão simples, que até eu "cozinheira minuteira profissional" duvidei da receita. Mas, voltando ao que interessa, uma das receitas testadas foi a seguinte: 
Pato marinado - salsinha, peperocini - sem sementes - e alho. Passe tudo no triturador e cubra o peito de pato esquecendo do mesmo por uma hora. 

Depois frite em uma frigideira bem quente - primeiro o lado da pele, abaixe para temperatura média, depois de 2 minutos, e deixe fritar por mais 6 minutos. Vire, permanecendo com a mesma temperatura e frite por 8 minutos. Tempere com sal e pimenta do reino, enrole no papel aluminío, e deixe esfriar. 

Molho de balsamico e cebolinha de primavera - três colheres de balsamico, mostarda forte à gosto, duas colheres de óleo de sésamo ou azeite, sal, pimenta do reino. Misture tudo de preferência com um mini-mixer no copo, aquele de fazer cappuccino - a consistência do molho fica bem cremosa usando o mixer. Depois corte a cebolinha e misture no molho - deixe por 10 minutos. 

Apartir desse momento, você estará livre... sirva a hora que der vontade... somente um único detalhe, não corte a carne antes de servir; perde a cor e resseca.

 Sirva em cima de um "colchão de rúcula", com uma baguete frequissíma saindo o forno, você vai se sentir nas núvens... Ouse, você merece!
Fritada de aspargos que deu super certo - muito gostosa e simples demais...

Sai, cheguei, comi, arrumei a cozinha, sai de novo... 

Cheguei, comi novamente "fria"... ainda muito gostosa... mas prefiri quente :-)

E isso aqui, foi a prova do crime que restou...

Eu amo morangos - novidade!?! - no momento encontro pra comprar em todos os lugares - perdição.

daí, testei uma receita de Tiramisú sem ovos e sobrou esse bicoitos...

Uhmmm...me deu uma vontade de comer Chantilly, aquele da caixinha redonda do Brasil "...eu nasci a dez mil anos atrás..."

Revirei tudo aqui, e fiz uma mistura que me lembrou minha infância e as tortinhas que eu comprava em umas padarias da vida, na minha terra amada...

Peguei os biscoitos, molhei com licor, bati o creme de leite no copo com o mini-mixer, temperei os morangos com baunilha e açúcar... e montei essa delícia, que para minha surpresa ficou tão gostosa, que mereceu sair no nosso blog. Receita "minuto súbita" para alegrar meu coração saudoso... e "...E VIVA..., VIVA..., VIVA A criação ALTERNATIVA..." Raul Seixas dos Morangos

domingo, 8 de abril de 2012

Prime Tower & Restaurante Clouds em Zurique

Foto: wikipedia.org
E finalmente consegui visitar o Prime Tower em Zurique - o edifício mais alto da Suíça no momento, com 126 metros de altura e 36 andares. Recentemente inaugurado em dezembro de 2011 - período de construção: 2008 - 2011 

A vista do Bistro-Bar, que fica no 35 andar é realmente incrível - pena que estava super nublado e minhas fotos da vista não ficaram legais. 

Quando chegamos ainda estava vazio, mas depois de um tempinho, lotou literalmente.

Achei a decoração diferente, lembra um Bar de Hotel bem mondaine.

Os tons de cobre deram ao Bar, uma atmosfera mais intíma, apesar do tamanho do local.

Jogo de luz e sombra na vertical, divertido.

Cardápio simples. Adorei o tartar de carne, estava super bem temperado.

Dolce Vita... idéia gostosa :-)  

Do restaurante consegui tirar essa foto com um "pouquinho da vista nublada" do lago de Zurique.

Perguntei sobre a possibilidade de reservar uma mesa para esse mês... e acreditem, nem nesse e nem nos próximos três meses.

Muito espaço entre uma mesa e outra. As cadeiras são super confortáveis.

Entrada Principal do Bar-Bistro e do Restaurante Clouds.


Fumódromo nas alturas; até nisso a Suíça é democrática :-)


Achei a aparência exterior do prédio, com os vidros espelhados linda.

Ainda tentei tirar umas fotos quando estava de saída, mas o tempo não estava colaborando mesmo.

Essa é a entrada principal do Prime Tower, que só abre de segunda à sexta - a entrada para o restaurante fica atrás do prédio. 


Restaurante Clouds 
Foto: 20mim.ch

Lounge Bar - aberto apartir das 16:00 horas. 
Foto: 20min.ch